Davy Rodriguez de Oliveira acusado de racismo renunciou a cargos no Front National
16 mars 2018
Les créateurs portugais à la conquête de la Fashion Week de Paris
16 mars 2018

Alunos da Secção Internacional de Saint Cloud visitaram Porto e Coimbra

Os 30 alunos da Secção Internacional Portuguesa do Lycée Alexandre Dumas de Saint Cloud participaram numa visita de estudo ao Porto e Coimbra, entre os dias 1 e 5 de março. Esta visita foi organizada pelas professoras de Português, Ana Cristina Martini e Carla Lourenço e contou com o apoio da Associação de Pais, a APESIP92, e com um generoso patrocínio da empresa Aguarea, propriedade de Cyril Marques.

O programa era diversificado e adaptou-se aos três níveis de ensino (Seconde, Première e Terminale), bem como às idades dos alunos, entre os 15 e os 18 anos.

No primeiro dia, o voo registou um grande atraso por causa da neve que madrugou em Paris, mas cedo esquecemos essa contrariedade, pois a aluna Mélanie da Silva comemorava o seu 18º aniversário e esteve no centro das atenções da tripulação da TAP!

Mal aterrámos em Portugal, e depois de tratar do desaparecimento da mala de uma das alunas, dirigimo-nos logo ao autocarro que nos levaria a São Miguel de Seide. Foi o dia dedicado a Camilo Castelo Branco, pois fizemos uma visita guiada à casa onde viveu, repleta de curiosidades interessantes, mas também à Cadeia da Relação no Porto, mais concretamente à cela onde o autor escreveu em 15 dias a sua obra-prima, «Amor de Perdição».

O dia terminaria com um passeio de barco no Douro: o «Cruzeiro das 7 pontes». Apesar da chuva, do vento intenso e da agitação no rio, nada nos impediu de apreciar no convés a bela paisagem das margens. Chegámos exaustos à Pousada da Juventude.

Depois de uma noite bem dormida, iniciámos a segunda jornada com uma visita guiada ao Museu Nacional de Soares dos Reis e passámos a tarde no Teatro Nacional de São João, a participar num atelier de leituras dramatizadas com base na peça de teatro «Farsa de Inês Pereira» de Gil Vicente. Adorámos os jogos iniciais que permitiram criar uma boa dinâmica do grupo, enquanto lá fora chovia…

A cinzenta manhã de sábado não nos impediu de viajar até à estação de Aregos, no coração dos municipios de Resende, Baião e Cinfães, para ficarmos a conhecer melhor os sítios percorridos pela personagem Jacinto da obra «A Cidade e as Serras» de Eça de Queirós. Fomos recebidos com uma prova de algumas especialidades locais e só não fizemos o caminho a pé na totalidade, da estação até à Fundação Eça de Queirós, por causa da chuva.

Depois da ementa típica queirosiana, arroz de favas, frango dourado e leite-creme, fomos visitar a casa de Eça de Queirós, que contém ainda diversos objetos pessoais do autor.

Mas o dia não ficaria por aqui. De regresso ao Porto, fomos a um parque temático sobre os Descobrimentos, que se situa na Ribeira e se chama «World of Discoverys», onde nos divertimos muito.

E este estado de espírito continuou na pousada, mas a Jessica Furon fez questão de ir conhecer o serviço de Pediatria do Hospital de São João. Magoou-se no joelho, felizmente, sem grande gravidade, na sequência de uma aula improvisada de «Kuduro».

O domingo estava destinado a outra deslocação. Iríamos a Coimbra visitar a Universidade para a qual alguns de nós querem ir estudar no próximo ano. Ficámos encantados, sobretudo, com a biblioteca joanina.

Depois de um bom almoço na baixa, fomos rapidamente espreitar as fontes dos amores e das lágrimas, cantadas por Luís de Camões, antes de irmos para um centro comercial da cidade, onde tivemos algum tempo livre para compras, ou para estarmos algum tempo com os nossos familiares.

Ao jantar, mais de metade do grupo quis experimentar a famosa «Francesinha» em Santa Maria da Feira, e foi neste jantar que agradecemos às nossas professoras tudo o que fizeram por nós. Logo de seguida, rumámos ao Teatro Rivoli, na cidade invicta, para assistir à projeção do filme vencedor do Fantasporto, que deixou alguns de nós aterrorizados!

E rapidamente chegou o dia da partida. De manhã, não pudemos visitar, como previsto, os jardins de Serralves, devido ao dia chuvoso, mas fizemos uma visita guiada a duas exposições temporárias de arte contemporânea.

Depois, almoçámos uns hambúrgueres famosos no lindíssimo ex-Café Imperial e continuámos a pé até ao Palácio da Bolsa, porque o sol fez o favor de aparecer, pela primeira vez, durante esta nossa estadia.

E como o que é bom acaba depressa, dirigimo-nos rapidamente ao aeroporto Sá Carneiro. Mas, pelo caminho, tivemos ainda tempo de comemorar outro aniversário de 18 anos, o da Juliana Santos, que soprou as velas no átrio da igreja da Senhora da Boa Hora, em Matosinhos.

Foram 5 dias intensos e inesquecíveis, em que visitámos muitos lugares de interesse, embora o estado do tempo não tenha ajudado – ficámos fartos dos vidros embaciados do autocarro -, comemos muito bem e aumentámos os nossos conhecimentos sobre a cultura portuguesa, da literatura à história, da gastronomia ao património.

Mas o mais importante é que nos esforçámos para falar sempre em português e ficámos todos mais amigos uns dos outros, porque frequentar uma Secção Internacional Portuguesa é como pertencer a uma grande família!

Turma de Première da SIP do Lycée Alexandre Dumas